Foto: Pinterest
Textos

Quando morremos de facto?

Quando morremos de facto? Era essa a pergunta, que questionava-me todos os dias, em que a minha existência era um tremendo fracasso. Questionavam-me quando comecei a sentir-me assim. Não memorizei a data. Foi a única resposta que soube dar. A vida é tão abstrata que quem é uma simples obra prima pintada de cores primárias, fica de lado.

Não entendi a rapidez com que movi-me para o lado da escuridão. Ela consome-nos tão rápido que a única saída é mesmo desprezar-nos.

Pergunto-me agora, se a morte é somente quando o coração pára e o cérebro morre. Como então explicam o facto de estar morta e continuar a ter batimento cardíaco? É simples: a alma desvaneceu e faleceu.

Os meus pés pisam o mesmo chão até à escola todos os dias, eles levam-me de volta a casa, não morro de fome mas ainda assim, não consigo ser grata, não consigo amar o que tenho, amar-me ou até lutar para ficar.

Ficar para quê?! Vivemos num mundo onde quem é hipócrita e egoísta tem tudo, e quem é meigo e luta pelo que tem, nada merece. Cansei-me. Cansei de tudo o que me rodeia. A rotina engoliu-me, o amor destruiu-me, a falta habitou-me e a morte sugou-me. Os órgãos que ainda vivem em mim, em breve, deixarão de trabalhar. Sinto-me numa fila de dominós em que falta pouco para a minha peça cair.

Queria poder explicar o porquê desta repentina partida, aos que mais adoram-me, mas sei que por palavras não entenderão. [Até então, nunca o entenderam.] Por vezes, as atitudes que os outros fazem têm mais impacto na nossa vida. Espero que assim que morra, consigam entender que já há muito estava morta por dentro e que nada poderia salvar uma alma oca. Espero também que não se culpem de todo, pela atitude tomada, visto que nada poderiam ter feito para que a minha decisão mudasse.

Carolina

Pessoa doce e amarga; aquela que perdoa, mas não esquece quem lhe magoou;que ama com todo coração, mas que ninguém deseja ser foco de seu ódio. É aquela menina/mulher que deseja revolucionar o mundo e concretizar os seus sonhos.

10 comentários em “Quando morremos de facto?”

  1. Incrível que as pessoas agora só querem morrer e por coisas tolas. Com tantas outras sofrendo e ainda lutando pela vida e outras que apenas querem morrer devido a não terem alguém ou não terem aquilo que querem. Pessoas mimadas. É isso.

    1. Cada pessoa tem as suas razões. Não se é por ser mimada/o ou não. Não podemos julgar os outros. Devemos apenas entender as suas escolhas, mesmo que não sejam as mais acertadas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *