Fotos: Pexels
Textos

No fim de contas, o que conta mais?

O amor ou o futuro? Quem sabe os dois.Quem sabe apenas um. Porque nem sempre os dois têm de seguir separados e nem sempre conseguem seguir unidos.

Não é a mais simples das escolhas.

Decidir trazer os dois lado a lado é talvez a mais difícil das tarefas. Nalgumas vezes o coração vai gritar, vai pedir por atenção, vai fazer doer. Outras vezes vai ser o futuro que está cheio de sonhos por realizar, que vai muito para além de uma cerca branca, com uma data de miúdos e alguém a quem chamar de “meu amor”. Não que isto signifique que não se possam realizar esses sonhos com alguém ao lado, apenas que vai ser tramada essa gestão de sentimentos.

No entanto, decidir separá-los é talvez a mais corajosa das tarefas. Exige a força necessária para se assumir que não dá. Para dizer agora não. Para gritar ao mundo, primeiro estou eu. Sim, porque decidir separar estes dois universos também exige amor, mas outro tipo, aquele que se tem porque quem realmente mais importa. Por nós.
Mas atenção, isso não significa que aquele amor não esteja à vossa espera no fim do caminho, apenas significa que aquele não é o momento.

Nestas coisas, não há fórmulas, não há soluções. Há uma balança.Que ora pesa mais para um lado,ora para o outro. Muito dificilmente encontrará o equilíbrio.

Mas então, o que se pode fazer?  Mais ou menos o mesmo que se faz quando temos de atravessar a rua: Parar, Olhar e Escutar.

Parar para olhar para o nosso coração e escutar o que ele tem para nos dizer.

E a partir daí seguir, convictos das nossas decisões, sem nunca ceder aquele diabinho que de vez em quando vai aparecer no nosso ombro a incitar-nos a olhar para trás e ter pelo menos uma pequena visão daquilo que teria sido se a nossa escolha fosse a oposta daquela que tomamos.

É tempo de seguir em frente.

 

Alfacinha de coração. Rapariga de meio termo. Adora escrever e partilhar (quase) tudo na vida. Não resiste a um fim de semana por outras paragens, nem a uma mesa rodeada de amigos.

4 comentários em “No fim de contas, o que conta mais?”

  1. Escolher entre o amor e o futuro não é uma decisão fácil e a situação de cada um varia imenso. Uns conseguem equilibrar ambos na perfeição, outros acabam por ter que abdicar de um ou de outro. Embora concorde contigo, penso que temos que nos por em primeiro lugar e pensar naquilo que nós queremos para o nosso futuro. 🙂
    Beijinhos
    littlewonderlandxo.blogspot.pt

    1. Olá mariana 😀

      Sim nunca é uma decisão fácil e se é um facto que há quem consiga equilibrar os dois também é um facto que há quem não consiga. Mas no fim de contas acho que o que realmente conta somos nós e aquilo que tanto sonhamos para o nosso futuro.

      Beijinhos*

  2. Eu sou aquela pessoa que se prejudica sempre porque escolhe sempre o amor. Acho que um qb dos dois seria o ideal, mas tal como tu disseste, nem sempre é fácil! Mas nunca te esqueças de uma coisa: o amor mais importante é o amor-próprio!

    Um beijinho,
    piquimads

    piquimads.blogspot.com

    1. Olá Madalena 😀

      Sim tens razão o amor mais importante é o amor próprio mas poder ter os dois é o melhor dos dois mundos, quando finalmente conseguimos encontrar o equilíbrio entre ambos claro.

      Beijinhos*

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *