Foto: Pinterest
Comportamento

Anjo da Guarda

Mergulhei outra vez na piscina, tentando assim relaxar definitivamente, a água gelada me fazia sentir frio e minha cabeça começava a doer. Pouco me importei, uma vez me disseram que eu iria ficar mal com tanta solidão e eu dei de ombros. Minha mãe já dizia para eu nunca deixar de ouvir o conselho dos mais velhos. Eu me achei crescida o suficiente e ignorei.

Sentada no fundo daquela piscina gigante localizada numa mansão maior ainda vendo a minha frente tudo um completo breu eu vi a mim mesma. Eu já estava na escuridão há muito tempo e me arrisco a dizer que me habituei a ela. A lua cheia como se quisesse acalmar dois seres a batalhar permitia que um pouco de luz (mesmo que roubada de um astro maior) clarea-se a água cristalina.

Assim como água eu desejava um pouco de luz, eu queria uma saída para todo aquele mundo de vícios noturnos e drogas constantes o qual eu já me encontrava há bastante tempo. As doses diárias de água que eu devia tomar pouco a pouco troquei por cachaça, os almoços por maconha ou algo mais forte. Não sei a quanto tempo estou sóbria, somente sei que não se é apenas a água da piscina que me faz tremer, se é a falta de álcool no sangue e droga no organismo.

Só por hoje eu resolvi me castigar e me ajudar ao mesmo tempo, se é que esta ajuda se é de todo correta, desde às 8 horas eu estou acordada e desde então não tenho colocado nenhum destes vícios na boca, tentei beber água, de primeira, o estômago embrulhou e eu vomitei; de segunda, forçei com que ficasse no estômago. No almoço, tentei comer algo saudável, mas não me desceu de jeito. Horas depois devido a abstinência quebrei alguns objetos de minha casa.

Foi ai que me apercebi de que era mesmo uma alcoólatra/ drogada, logo eu que cheguei ao topo da cadeia de sucesso, como pude me permitir chegar a este ponto?! Eu cheguei ao fundo do poço perdi os amigos verdadeiros, os atuais diziam que isso se era coisa de monento e que se eu usasse algo mais pesado havia de ficar melhor e com a cabeça no lugar. 

Eu não sei que horas são tampouco se o alarme de segurança está ligado, ao menos no ponto em que estou se alguém tentasse me roubar ou algo pior, eu teria uma descarga elétrica a percorrer meu corpo e somente assim eu me sentiria viva novamente, talvez.

Mas foi pior, ou talvez melhor, isso se é muito relativo na situação a qual me encontro. Um corpo mergulhou na piscina, eu já estava a sentir meu corpo a desfalecer, mas eu reconheceria o seu rosto em qualquer lugar, era o meu anjo da guarda da época de faculdade. A minha última amizade decente. Como se estivesse a carregar uma folha de papel, esta pessoa tirou-me da água fria e sem que eu me desse conta já estava em minha cama coberta por um lençol quente.

Apesar de tudo, posso me considerar sóbria o suficiente para afirmar que ali estava a minha luz a qual eu tanta procurava e de facto eu farei tudo para tê-la perto de mim outra vez. 

Rosa Branca

Por muito tempo o tom de vermelho-sangue se fez presente na minha vida, por hora limito-me a usar boas doses de solvente-reconstrução para tornar-me branca outra vez.

8 comentários em “Anjo da Guarda”

    1. Olá querida, este se é mesmo um facto incontestável. Agradeço-lhe imensamente pelo teu feedback.
      Até breve, forte abraço e sê feliz! 💛

    1. E eu cada vez mais feliz por tanto carinho que tens para comigo! Como dizem “àquilo que não possue remédio, remediado já está”.
      Até breve, forte abraço e sê feliz! 💛

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *