Foto: Felipe P. Lima Rizo (Unsplash)
Textos

Não sei, é complicado.

Quando abri a porta do meu quarto o cansaço tomou conta do meu corpo. Deixei-me levar, coloquei a minha mochila no chão e atirei-me para cima da cama. Recordo-me que antes de sair de casa tinha deixado a cama por fazer, mas naquele momento ela estava arrumada. Deve ter sido a minha mãe. Que gentil.

O dia na escola tinha sido cansativo. Mais do mesmo. Deitei-me na horizontal. Retirei o meu telemóvel do bolso das calças e coloquei a minha playslist no spotify em modo aleatório. A minha visão intercetou uma foto nossa. Naquele dia tínhamos decido sair pela primeira vez. Foi espontâneo e repentino, lembro-me que estava nervoso tanto por estar com ele pela primeira vez tanto por odiar planos há última da hora. Sair da minha zona de conforto tinha sido uma das minhas promessas de ano novo e tencionava cumpri-la.

O céu estava azul com uma brisa de verão, estes eram os ingredientes ideais para um encontro perfeito. Avistei o seu carro ao longe. Afinal, quem seria eu se não desse uma leve stalkeada nas suas redes sociais? Dei três leve toques no vidro do lugar de passageiro para afirmar a minha chegada, ele sorriu-me e de seguida entrei no automóvel. Ele era igualmente charmoso como já tinha visto nas fotos do Instagram, mas o que mais me marcou foi o seu perfume – até hoje o aroma é-me indescritível.

Enquanto ele conduzia, reparava atentamente em cada traço do seu rosto e como cada parte do seu corpo se comportava ao meu lado. Ambos estávamos à vontade, poderia arriscar e dizer que estávamos em harmonia. Ele virou o seu rosto em direção ao meu e só aí voltei à realidade. Tinha perdido a noção do tempo e não tinha a leve ideia de para onde estávamos a ir. Ele sabia. Ele tinha tudo sob controlo. Pelo menos foi o que ele me transmitiu.

O sol batia-me na cara, era indescritível aquele sentimento. Ele parou o carro. Saímos. Aproximou-se de mim e finalmente consegui vê-lo como um todo. Tínhamos uma leve discrepância de altura, ele era levemente mais baixo, a sua barba apresentava algumas falhas e o seu sorriso esbranquiçado ganharam a minha atenção.

Ele encostou-se a um muro e aproximou o meu corpo do dele. Ele não deu a mínima importância para a presença das outras pessoas no local, ele estava focado em mim. Isso conquistou-me. Não pude evitar e abracei-o. Ele retorquiu.

Muitas vezes abraçamos pessoas por abraçar. Outras vezes somos abraçados mas não sentimos que o estamos a ser. Naquele momento não se passou nada disso. Eu abracei-o com sentimento, ele retorquiu-me com o mesmo sentimento e senti que aquele tinha sido o melhor abraço da minha vida.

Não nos falávamos assim há tanto tempo. Coisa de dias. Mas, amar intensamente era muito comum em mim. Não me arrependo de ser assim. Gosto de viver cada segundo da minha vida intensamente, com reações reais, sem rodeios. Vontade de amar? Amo. Infelizmente, isso tem a sua faca de dois gumes, não é mesmo?

As publicidades do spotify despertaram-me do meu flashback. Como sempre, perdi a noção das horas. Fechei a aplicação e levantei-me da cama. Espreguicei-me e alguns dos meus ossos estalaram. Dirigi-me para o meu espelho por motivos de ter amassado a roupa.

Olhei-me no espelho. Não estava completo. Não me sentia completo. Não, não era uma pulseira ou anel que me faltava. Eu via-me pela metade. Eu sentia-me pela metade. Não porque o espelho foi colocado numa altura superior à minha, na realidade os meus olhos foram mais além. Metade de mim estava ali e eu consegui vê-la, conseguia senti-la, porém eu não estava completo. A minha outra metade ficara com ele naquele dia.

Passaram-se alguns dias desde o nosso encontro. Conversámos todos os dias.  Aproximamo-nos mais. Não sei, é complicado.

Alexandre

Eu sou o ariano que toda a gente te avisou. 18 anos, estudante de Comunicação e escrevo por aqui sobre vários assuntos.

4 comentários em “Não sei, é complicado.”

  1. Adorei mesmo o texto e compreendo imenso o que ele transmite. Amar com intensidade, para mim, é um misto de amor e ódio. Aquele sensação de encantamento é maravilhosa mas deixa-te exposto e um tanto ou quanto vulnerável.

    http://www.allweneedis.pt

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *