Foto: Pinterest
Textos

O que me resta é te agradecer

Eu chegava de mais um dia cansativo de trabalho, retirava meus coturnos e os colocava num canto da sala, a fragrância de cereja a ser aspirada por minhas narinas permitia que eu me esquecesse um pouco do dia-bosta que eu tive. 

Neste instante eu percebi mais uma vez que eu tinha um lar! Que eu construí um lar junto a ti !

Lembro de uns dias atrás tu teres me perguntado o porquê d’eu ter me casado contigo e eu também me lembro de ter ficado em silêncio por alguns minutos para de seguida falar-te: “olha para o que fazes por mim e por nossa pequena e verás o porquê”.

Hoje, eu te peço outra vez para que vejas ao nosso redor. Tu ainda sabes a minha vela aromática favorita. Tu aindas sabes sorrir quando nossa menina fala: “bem que eu podia comer um sabonete de frutas vermelhas pois o mesmo é feito de morango, papai”.

Foste despedido há uns meses e ainda não tiveste a oportunidade arranjar outro emprego mas mesmo assim não perdes o sorriso! Ainda assim não perdes o teu brilho! As funções que eram de uma empregada-babá e bem raramente nossas, tu colocaste nas tuas costas.

Eu lembro de tu a dizer-me: “vamos despedí-la não posso deixar um monte despesas as tuas costas, eu até tenho uma economia guardada mas quanto mais pouparmos mais haveremos de ter para nossa pequena, o que achas?! Quando esta maré má passar, chamamo-na de novo.”

Apesar d’eu passar por alguns maus bocados na empresa, escutar de cabo a rabo com um sorriso “falso” estampado a face, sem me aperceber, meu corpo e mente automaticamente relaxam quando chego ao meu lar.

Há diversas técnicas para relaxar e desestressar porém meu lar se é a minha favorita.

Eu quero te dizer que eu amo momentos como este que está a se passar diante de meus olhos agora. Meu peito se contagia de felicidade quando vejo o sorriso a face de nossa pequena e tu todo sujo pois devido ao tom de cor de tuas vestes acabaste por inventar de fazer torta de frutas vermelhas, creio eu. E apesar de não teres conseguido, tu ao menos tentaste e eu te admiro imenso por isso.

Quando tu não achas que eu tenho de transar contigo pois fizeste algum agrado para nós, quando vejo tu a cuidar-me depois do dia de rastos que tive, quando vejo tu a dormires por vezes ao sofá com a nossa filha ao colo depois de um tarde de “bagunça”, quando vejo tu seres compreensivo comigo pois por vezes desconto mesmo sem querer o dia-bosta que tive no trabalho em ti e tu não me demonstras fúria, por vezes apenas me abraça e me diz que em um momento tudo há de se resolver. É exactamente em pequenos momentos assim que eu me apercebo de que te amo ainda mais dia após dia.

Agora, eu te respondo, foi por causa destas pequenas demonstrações de carinho que eu me casei contigo. Agradeço-te por todos os eu te amo expressados nas poucas atitudes, agradeço-te por todos os abraços reconfortantes, agradeço-te por tentares a todo custo seres o melhor pai possível para nossa pequena. E, principalmente, agradeço-te por teres continuado cá mesmo quando a tempestade se fez presente!

 

Rosa Branca

Por muito tempo o tom de vermelho-sangue se fez presente na minha vida, por hora limito-me a usar boas doses de solvente-reconstrução para tornar-me branca outra vez.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *