Foto: Jordan Whitt / Unsplash
Comportamento

Se pudesse pedir algo ao tempo

Se pudesse pedir algo ao tempo pedia para que fosse o que sou há mais tempo. A ingenuidade faz parte. Por vezes, queria tê-la em algumas ocasiões, em que a realidade é muito dura para ser vivida ou até engolida. Dizem que na vida vamos engolir muitos sapos – disso já não tenho dúvidas. Já engoli pessoas por inteiro, sentimentos que deveriam ter sido expostos, vontades que deveriam ter sido algo mais, mas engoli-as a todas. Com muito custo, mas foi necessário.

Se pudesse pedir algo, pedia para que tivesse sofrido mais cedo. A dor faz parte do que somos, do que iremos ser. É com ela que aprendemos a dar valor ao que realmente importa. É com ela que aprendemos que o mundo em si pode tornar-se muito cruel e que há pessoas que também o são – não tivesse eu cruzado com tantas ao longo desta pequena jornada. Quis um dia acreditar que elas poderiam sê-lo, porque, em tempos, tinham sido magoadas tal como naquele momento eu estava, porém isso era apenas uma desculpa que fazia-me desculpá-las de todo o mal que me fizeram. Não deveria ser assim, mas lá está: foi a ingenuidade.

Por anos acreditei que um dia a minha vida iria mudar, que eu ia mudar, que o meu corpo iria mudar (iria ser aquele com que desejava, aquele de revista, esquelético e sem curvas aparentes). Quis um dia voltar atrás. Pedimos tanto as coisas que não sabemos aproveitar as que já temos a nosso alcance. Hoje se pudesse, voltava para o corpo de antes e amá-lo-ia com todas as minhas forças. Jamais o trataria da forma que tratei. Lá está: tive de sofrer e passar por isso para poder aprender a agradecer o que agora tenho e o que um dia tive.

Incrível como muitas vezes dizemos “ah se eu pudesse voltar atrás faria tudo diferente“, é mesmo, eu própria faria, mas será que seria o que sou hoje? Provavelmente não o seria. Provavelmente nem escreveria agora o que sinto, nem tampouco conheceria as pessoas fantásticas que conheço. Tudo tem o seu propósito. Não podemos impedir o inevitável. Iremos magoar-nos imenso, sofrer até mais não, querer apenas estar debaixo dos lençóis a chorar e a reclamar da vida de merda que temos, porém quando a ficha cair, verão que quem está a desperdiçar tempo são vocês. Desperdiçam estando a pensar no passado, no que fariam de diferente, no que mudariam, na relação que nem começariam, mas esquecem-se do que têm, esquecem-se do agora, do presente que deve ser vivido e contemplado a todo o custo, a todo o momento.

A diferença entre o tempo de hoje e o tempo de ontem é que o último já passou. Então, em vez de pensares nos erros que cometeste – esses mesmos que te fizeram na pessoa que és hoje –, pensa nos que não deves cometer a partir de agora. Por vezes, a única certeza que temos é que estamos vivos. O resto só importa quando damos essa importância. Por isso, se pudesse pedir – mas não quero, nem posso –, pediria para ser o que atualmente sou, porque assim agradeceria tudo o que tinha na altura e por cada dia de vida, quando na maior parte das vezes, o que queria era tirá-la.

Carolina

Pessoa doce e amarga; aquela que perdoa, mas não esquece quem lhe magoou;que ama com todo coração, mas que ninguém deseja ser foco de seu ódio. É aquela menina/mulher que deseja revolucionar o mundo e concretizar os seus sonhos.

2 comentários em “Se pudesse pedir algo ao tempo”

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *