Foto: Vinícius Müller / Unsplash
Textos

Silêncio. Às vezes, só precisamos de silêncio.

Silêncio. Era a única coisa que necessitava. Às vezes, só precisamos de silêncio e que nos deixem no nosso canto. Os sentimentos, o stress e a rotina nos consomem todas as energias. Nem sempre restam forças para lutar. Há noites de perfeita confusão e solidão. Insónias constantes que parecem durar bem mais que uma noite. Gritos sufocantes ficam e perduram nas nossas mentes matando todas as instâncias de momentos bons. Silêncio.

O mundo anda sempre em ruído. Comummente as pessoas atropelam-se, não sabem ouvir as outras e não sabem respeitar as opiniões alheias. Passamos a ser uma multidão que se enche de vergonha para falar nos seus problemas. Sufocamos-nos com os nossos desabafos e mantemos-nos na mesma bolha de ansiedade e tristeza por meses a fio. Não tem como parar, como deixar de sentir. Não há solução aparente, nas nossas cabeças, para deixar de ser tão insuportável.

Cada instante é calculado. E a cada minuto nos aproximamos de um abismo, sem retorno. É como se alguém nos desse força para saltar, pois temos a sua mão. Saltamos e a pessoa vai embora. É um mar de tragédias e abandonos. Não há começo, nem fim. O silêncio perdura nestas quatro paredes. O choro faz-nos esconder por entre os lençóis e assim ficamos. Há dores assim.

Chega a ser contraditório todas as minhas exigências. Silêncio. Ruído. Afinal, em qual estou melhor? Há tanto barulho cá dentro e tanto nada cá fora. Ninguém se importa.

Se gritamos para ficarmos sozinhos, vão sem nem tentar um diálogo. Em tão pouco tempo, a ansiedade consome-nos, a tristeza permanece e a felicidade desvanece. Tudo acaba por morrer, até este pobre corpo mal tratado. Finalmente, silêncio absoluto. Agora, se pudessem ouviam a minha voz. 

2 comentários em “Silêncio. Às vezes, só precisamos de silêncio.”

  1. *reaparecendo com muita vergonha*

    Olá! Há quanto tempo…… Como estás? Apareci aqui de paraquedas para dizer que fico muito feliz por continuares com este projeto maravilhoso e que eu sou uma perdida na vida.

    Muitos abraços

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *