Foto: Pinterest
Textos

Não cuidei que era amor.

Duvidei se era amor.

E talvez não fosse coisa nenhuma, simplesmente quisesse ficar contigo mais um pouco, dar-te a mão e dar a volta ao mundo. Porque era a única coisa que eu queria, ficar. Ficar ao teu lado até ao sol nascer, algo que me parecia tão fatela. Deixar-me ficar mais um pouco nos teus braços até que o despertador tocasse, só dormir. Dar-te a mão para passar a passadeira com medo de te perder, só porque cuidar é amar. Mas não dava para ficar, só a dormir, o despertador tocou e eu não cuidei que era amor. Deste-me um beijo na testa e fugiste e eu também fugi para não mais voltar.

O caminho certo nem sempre nos faz feliz, mas será isto possível? Gostava de acreditar que não, que nos vamos encontrar no próximo cruzamento porque te esqueceste de algo, que vais só avisar que chegaste ao destino que era eu, que vais só voltar e dizer que podes ficar mais um pouco. Mas a verdade é que isto é mentira. O correto nem sempre nos faz feliz. Segui a direção contrária e como forças repulsivas afastei-me o mais possível para não juntar de novo. Enganei as gotas de chuva, as dores de cabeça, o sono e a ressaca com a minha tristeza. E sorri para chorar de novo, porque amar errado não tem solução. E tu não ouviste, mas gritei por ti nas entrelinhas e tu não escutaste.

E percebi que era amor, mas quando corri para ti já não estavas mais onde te deixei. E perdi-te pois duvidei que era amor quando já não haviam duvidas.

2 comentários em “Não cuidei que era amor.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *