Foto: Tumblr
Textos

Éramos uns adolescentes estúpidos

O nosso amor tinha sido improvável. Éramos adolescentes frenéticos, imperativos e cheios de amor e carinho para dar. Queríamos distribuir o máximo que conseguíamos por todos, até que nos vimos. Entre uma fogueira e uma música calma cantada pelos nossos amigos em comum, ela olhou-me profundamente nos olhos e eu soube que nunca mais os dias seriam os mesmos. O verão já se tinha modificado.

Nos aproximamos com piadas, conversas um tanto banais até que começou a desabafar comigo. A princípio, pensava que estaria querendo preencher um vazio que um outro alguém havia deixado em seu peito. Isso mudou quando me disse nos olhos, que era o ser humano mais incrível que alguma vez tinha conhecido. Mudou quando me murmurou que se até agora tinha dado errado, era porque Deus sabia que eu iria entrar no caminho dela. Eu era o certo para ela.

Quando nós estamos acostumados a dar uns beijos e a f*der por aí com qualquer mulher, sem ouvir nada sobre amor, nos emocionamos facilmente com quem sabe demonstrar que gosta de nós. Mexeu comigo e abalou tudo o que um dia podia ter definido. Na minha mente não havia mulher que pudesse me prender. Contudo, estava errado. Ela não me iria prender nunca. Ela me tinha dado a chave de seu coração. Podia entrar e nunca mais regressar, tal como podia entrar e sair as vezes que quisesse. Quando amamos verdadeiramente alguém, deixamos sempre a porta fechada porque sabemos que se ela gostar mesmo de nós, volta e bate à porta. Quem ama volta sempre. Se parte é por motivos de ordem maior, como trabalho. Temos essa liberdade. Sabemos sempre o caminho da casa da amada. Nunca esquecemos da chave.

O amor é feito de confiança, de liberdade e de lealdade. Se até agora não tinha sido assim era porque nunca tinha sido amor. Caramba, éramos uns adolescentes estúpidos mas que sabíamos tanto sobre o amor. Basta sentir de verdade para perceber a realidade. Não importa a idade.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *