Foto: Kevin Laminto / Unsplash
Reflexão

Eu sei que vais ir embora.

Eu sei que vais ir embora. Embora tenhas prometido que não o irias, sei que irás. Podes ir. Está tudo bem.

Nem sempre estamos dispostos a investir tudo numa relação. Nem sempre estamos dispostos a lutar infinitamente por alguém. E tudo bem. Tu nunca serias capaz de fazer isso por mim, tal como faria por ti.

Muitas vezes, damos tudo às pessoas que não irão ficar de verdade nas nossas vidas. Damos tudo a quem não merece ter tudo, mas pensávamos que mereciam. O que fica para depois? O que vem depois do fim? Há quem diga que vem um recomeço. Há quem diga que só haverá dor e um mar infinito de lágrimas. Quero acreditar que haverão as memórias destes últimos três anos de nós dois. Das caminhadas pela praia pelo amanhecer e entardecer; dos sorrisos envergonhados em frente à família; da mão dada por baixo da mesa, nos jantares; de cada vez que fomos embora e o outro preocupou-se com a nossa segurança rodoviária; os beijos roubados; os beijos apaixonados; os abraços demorados; quando dormia sobre o teu peito. Haverão as memórias do verão passado ao teu lado. Das idas à praia; dos escaldões que apanhamos por adormecermos na areia; das fogueiras, das corridas tolas que fizemos; daqueles jantares demorados com os amigos; das vezes em que fizemos do corpo um do outro, casa e abrigo.

Tu foste o meu porto seguro por todos esses meses. Atracar em ti foi fácil. Embarcar em busca de algo incerto parece-me um missão deveras suicida. Mas irei. Não há outra opção senão partir. Haverão saudades que perdurarão por um finito de tempo. Haverão dias em que a única coisa que irei querer é ouvir a tua voz. Os dias passarão, a chuva passará, o sol voltará.

Acredito que ainda poderei florescer mais mil vezes, pois tenho sempre amor para dar. Não ficamos quebrados para sempre. É bom estar seguro dentro do abraço de alguém. O conforto, a segurança, o amor, a cumplicidade, a amizade. Não é com normalidade que vamos embora e começamos tudo de novo. É lixado. Só que a vida acontece. Quando não estamos pré-dispostos a dar, a investir, a perdoar, há coisas que se tornam impossíveis de concretizar. É pena que no fim, tenha sido só um de nós a lutar por este amor que, em tempos, foi tão bonito de se ver e de se viver.

Tudo bem. Vais mesmo embora. Há promessas demasiado dolorosas para serem cumpridas. Essas mesmas jamais deveriam ser feitas, sem certezas. Mas, quem tem a certeza sobre tudo? Há incertezas que duram anos, como certezas que duram dias.

Foi bom morar em ti. Será bom recordar a nossa viagem. Chegou a hora de partir, meu amor, até um dia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *