Foto: Tumblr
Textos

O nosso relacionamento

Incrível como vieste mudar-me. Incrível como aos poucos, vou voltando a ter o hábito de sorrir. Vieste dar-me umas quantas lições de que precisava.

Nem sempre vi os relacionamentos com a melhor percepção. Sempre os vi como uma enorme desilusão. Magoava, rasgava, torturava e mudava. Sempre me transformava, ao amar ou ao entrar num relacionamento. Deixei de me envolver com tanta facilidade com as pessoas com medo do “não dar certo” e de me magoar de novo.

Não precisei esforçar-me muito para te conquistar, tal como do teu lado também não. Não precisei provar-te de que conseguia ser fiel, tal como não precisaste provar-me de que eras de confiança. Estávamos ambos tão fartos disso em relacionamentos anteriores e ainda assim não tivemos medo de nos entregarmos um ao outro.

Vi claramente que o nosso relacionamento era diferente quando te ligava e falava por horas como se fosses o meu melhor amigo. E o eras. E és. Além de namorado, és o meu melhor amigo. Há que ter essa amizade, companheirismo e compreensão. Tudo isso aprendi contigo.

Apercebi-me que o nosso relacionamento era diferente de todos os que já tinha tido, quando nos olhávamos, no meio de uma mesa de amigos, e só com o olhar comunicávamos e ríamos às gargalhadas. E claro, nos achavam loucos por isso. Acontece que adoro ser louca contigo.

A forma como os nossos corpos se encaixavam num só, como transbordávamos amor, deu ainda mais valor ao que sentia por ti. Tive finalmente o privilégio de ter umas das tuas camisolas que demorei meses para a devolver. Tive o privilégio de vestir todas as tuas camisas e até calças de treino e rir-me imenso quando olhavas para mim assustado. Já não bastava roubar-te o coração, ainda roubava-te as roupas. Mas o amor é isso. É sobre partilhar, demonstrar e sentir. É estar lá, acima de tudo.

Sempre estiveste lá para mim. Numa noite de insônia, no hospital, nas consultas, nos momentos de ansiedade. Acima de tudo, nos maus momentos, em que mais necessitava de ti, estavas lá.

Nada foi forçado. Nenhuma briga demorava mais que cinco minutos e o teu abraço sempre me apanhava desprevenida. Sempre tive o teu corpo para me aquecer, os teus braços a envolver-me para um abraço ou para dançar e o teu sorriso para continuar a suportar todas as adversidades. Sempre te tive e hoje não sei lembrar dos tempos em que não te via, em que não te sentia, em que não vivia contigo.

Os relacionamentos sempre podem ser diferentes. Todos eles são. Dependem sempre da pessoa com quem partilhamos a nossa vida e tive a sorte grande em encontrar-te. Tenho o maior privilégio em poder viver todos esses momentos contigo. Serás sempre tu, quem mais me mudará e quem mais me faz feliz. Se há uns anos, me dissessem que teria esta sorte grande, não acreditaria em tamanha loucura. Agora, somos dois loucos, de mãos dadas, mostrando que no fim, sempre há alguém pré-destinado a cada um.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *