Foto: Pinterest
Textos

De dentro.

Aquela praia foi o nosso cenário. Caminhamos a praia de lés a lês de mãos dadas e sorrisos no contorno de uns lábios. Pela primeira vez na vida te olhei com os teus olhos.

Não haviam espelhos, apenas o teu olhar onde mergulhava de cabeça e conhecia as profundezas do oceano de perto. Os cantos do mundo ficaram fechados na caixa e aqui éramos nós sozinhos na imensidão do mundo a olhar para nós, mas ninguém nos via na realidade. Porque na realidade ninguém nos queria ver. Éramos só pessoas a vaguear praia a fundo. De roupas despedidas falamos horas a fio e mal nos conhecíamos, mesmo que estivesses lá bem perto de mim a tempo inteiro . Por vezes, nos focamos tanto numa estrela que nos esquecemos que o universo é feito de constelações e há tanto para lá do visível.

Quando desfocamos damos uma nova oportunidade a nós mesmos de ver o que nos limitamos a olhar de passagem. A conversa ia com as ondas do mar e a tua voz era cheiro a maresia. Trataste-me por tu e pela primeira vez também o fiz. Nunca me tinha sentido em mim para tal verdade. Falamos da vida e do que era além da vida, além do que podíamos falar. Proferidos palavras que pensávamos impossíveis de dizer em voz alta, que ganhavam vida e que iam a correr atrás da verdade. Mas não, apesar de se tornarem reais também se tornaram, algumas delas, anedotas para a vida toda. Desvalorizamos as lágrimas choradas em diários salgados, desabafos baixinho para o destino não ouvir e segredos, esses segredos que fizemos pinki não contar a mais ninguém. Éramos só nós para a vida toda e o mar foi o testemunho do nosso amor eterno, esse pacto que fizemos para sempre. E dizem os loucos que para sempre é tanto tempo, mas o que é o tempo comparado ao conforto do teu abraço? O tempo até se perde no silêncio dele, por inveja de ti e de nós.

E num (des)conhecido encontrei o meu abrigo e o colo onde repousar. E quem nos visse diria que éramos loucos apaixonados e éramos, ou melhor, ainda somos. Loucos apaixonados, um pelo outro, mesmo deixando apenas 2 pegadas para trás na areia molhada.

O amor começa em nós e é exatamente o reflexo do que vemos de dentro. Agora estou pronta e já posso amar o mundo lá fora.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *