Reflexão Textos

É preciso dizer.

Quantos pedidos de desculpa por dizer cabem numa vida? Quantas palavras de amor morreram em papéis perfumados? Quantos berros cabem dentro de quatro paredes? E quantos corações morreram em silêncio com tanto por dizer? Quantas saudades morreram na praia? Por medo, por receio, por incerteza, por não sabermos comunicar nem ouvir.

Temos tudo para comunicar. As palavras certas, as erradas, as meias palavras. Temos o dom de as organizar e ligar ao coração, ao cérebro e ao raciocínio certo. Mas deixamos ficar para amanhã, as palavras de tristeza, as repletas de sinceridade e as mais bonitas de amor. Porque hoje perdemos a noção do tempo na correria da vida. Porque hoje temos mais medo que ontem e talvez amanhã sentiremos menos.

As palavras perdem se em olhares, abraços e sorrisos trocados e quando as perdemos já era. A boca fica seca e as palavras enrolam se na língua e já não sabemos o que dizer, tudo parece ridículo. E as expressões mais simples são as mais árduas de se dizer, as boas e as más. Mas às vezes é preciso parar, convidar para um café e conversar.

Nem tudo se diz em silêncio e nem todas as palavras mais bonitas de amor são ditas pelo coração. Eu nunca vou entrar dentro de outra pessoa para saber se gosta, se quer, se fica amanhã talvez. Eu não posso deduzir, supor ou acreditar no vazio, no que não é dito. A sinceridade destrói muros e permite que duas pessoas construam pontes firmes. Não dizermos nada, ou acharmos que já nem vale a pena dizer, é porque já nem vale ficar, nem sentir nem sequer pensar, é porque já era. Enquanto eu quiser falar e ouvir é porque quero ficar a par com outra pessoa, porque me importo. Não podemos pedir para nos ouvirem se não queremos falar, expressar.

Quando dizemos algo em voz alta as coisas mais abstratas da nossa cabeça ganham vida, os sentimentos passam a não ser totalmente nossos e já atingem outras pessoas, ou só porque sabem ou só porque sentem. Devemos sempre ter consciência que existe um outro ser igual a nós a ouvir, a sentir. Depois de dito está dito e não há maneira de apanhar os cacos dos nossos estragos ou dos nossos consertos. Como não há maneira de limpar a pintura de fizemos. As palavras bonitas têm o mesmo valor que as palavras mais brutas, ambas tocam no outro.

É nossa opção guardar ou nem dizer, e palavras leva-as o vento mas as que nunca foram ditas, não leva ninguém. Por isso só preciso que me digas se preparo um café ou a vida, para conversar.

2 comentários em “É preciso dizer.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *