Foto: Pinterest
Reflexão

Somos instantes.

Num momento somos vida e no outro pó. Somos pó de estrelas que já brilharam o suficiente. Temos instantes que duram mais do que outros, temos o privilégio de amar e de ser amado, de ouvir (realmente), de ajudar e de viver.

Somos instantes. Num segundo estamos no topo da montanha, e no outro estamos caindo num poço sem fim. Num dia somos voz e noutro silêncio. O silêncio crava-nos no peito mais do que as palavras, porque tudo o que não foi dito dói mais do que o que foi ouvido.

Num dia sentimos e no outro não passamos de sombras que já não fazem parte de ninguém. Tudo o que somos hoje, amanhã pode ser só uma memória, na vida de quem marcamos um dia. Hoje até posso ter tudo e amanhã tudo me faltar. Às vezes, temos medo de viver, de amar, de sofrer, mas não temos tempo ilimitado. Todos temos o nosso tempo de viver e quem não sabe arriscar, perde oportunidades únicas, que não voltam.

Quando um corpo se vai, apenas a memória fica e às vezes, penso no que pensam as pessoas nos seus últimos minutos. Será que pensam no que não disseram? No que não tiveram coragem de fazer? Será que têm mais arrependimentos do que realizações? O que queres sentir nos teus últimos minutos?

Amanhã pode ser tarde para ser o que hoje queres ser, portanto sê hoje, vive o máximo, esgota todos os minutos com quem mais amas, demonstra amor, oferece amor, abraça e dá tudo o que tens porque não sabemos o dia seguinte e o que este nos reserva.

Somos instantes e nem sempre, desfrutamos deles como devíamos. Tem coragem, não tenhas medo de viver a tua vida. Uma vida preenchida de medo, nunca foi realmente vivida. Supera os teus limites e sê feliz em cada instante.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *